Páginas

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

CERTAME: Encontros da Imagem 2019


[Clicar na imagem para ver mais fotos]

CERTAME: Encontros da Imagem - Festival Internacional de Fotografia e Artes Visuais 2019
Braga, Barcelos, Guimarães e Porto (vários locais)
13 Set > 27 Out 2019


Um dos maiores e mais consistentes festivais de fotografia do nosso País, os Encontros da Imagem de Braga, aí estão de novo, trazendo consigo novas produções fotográficas, dando visibilidade a autores dos quatro cantos do mundo e atraindo um público exigente e conhecedor, certo de que não sairá daqui defraudado. Foi assim nas vinte e oito edições anteriores e volta a sê-lo novamente em 2019, através dum vasto conjunto de iniciativas que não se resumem às trinta e duas exposições, de outros tantos artistas, em dezoito locais distintos, mas se estendem à leitura de portfolios, a projecções fotográficas, a um ciclo de cinema que reúne nomes como os de Nanni Moretti, Abbas Kiarostami ou Aki Kaurismäki, e ainda a uma notável exposição de livros de fotografia, que resulta de uma parceria com o renomado Photobook Festival Kassel, Alemanha.

Com a questão “E Agora?” em pano de fundo, a edição deste ano dos Encontros da Imagem assume-se como testemunha de “tempos de uma tremenda violência, violência entre pessoas e entre estas e a natureza (…), tempos de opiniões fracturadas, que levam à destruição de famílias, comunidades, e até mesmo países.” Ao mesmo tempo, porém, mostram-se indisponíveis para aceitar de forma passiva o actual estado de coisas: “Chegou o momento de nos interrogarmos e decidirmos enquanto sociedade, se iremos desenvolver a tolerância, defender os direitos humanos, e pensar no planeta como o nosso último refúgio. Se iremos ser contra o racismo, a xenofobia, a desigualdade de género ou qualquer outro tipo de intolerância ou, se iremos continuar a prolongar estes traumas com indiferença, esperando para ver onde estes nos levarão?”

A discussão em torno destes assuntos não se faz esperar. Aqueles que demandem Braga – ou Barcelos, Guimarães ou Porto, onde se encontram estabelecidos outros sete pólos do Festival –, vão poder apreciar um conjunto de testemunhos notáveis, entre os quais o da italiana Alessia Rolo sobre o drama dos refugiados que têm no Mediterrêneo um imenso cemitério, da iraniana Schore Mehrdju sobre a crescente repressão decorrente da Revolução Islâmica, do equatoriano Felipe Jacome que documenta o êxodo do povo venezuelano, do belga Nick Hannes que põe em evidencia as contradições do capitalismo sem limites ou ética num País como o Dubai, do espanhol António Pérez que faz duma paisagem devastadora o seu laboratório fotográfico, do sueco Sebastian Sardi que nos mostra os aspectos ambientais catastróficos do uso do carvão ou da portuguesa Pauliana Valente Pimentel e a sua abordagem à discriminação para com os homossexuais de Cabo Verde. Valerá a pena ir espreitando aqui no blogue, porque irei pormenorizar cada um dos trabalhos enunciados e ainda mais uns quantos que se revelam fortemente impressivos. Mas agora o importante é pôr pés ao caminho. Os Encontros encerram no próximo dia 27 e será imperdoável passar ao lado de tantos e tão bons trabalhos!

Sem comentários:

Publicar um comentário