Páginas

sexta-feira, 13 de julho de 2018

CONCERTO: "Pianíssimo Beethoven"




CONCERTO: “Pianíssimo Beethoven”
Real Filharmonía de Galicia
Lars Vogt | Piano e direcção musical
44º Festival Internacional de Música de Espinho | FIME 2018
Auditório de Espinho - Academia
07 Jul 2018 | sab | 22:00


Durante muito tempo, a figura do maestro não existiu tal como a conhecemos hoje. Regra geral, as orquestras eram dirigidas pelo primeiro dos violinos, o concertino, ou pelo cravista. Nesta 44ª edição do Festival Internacional de Música de Espinho, a programação apostou em diversos concertos que retomam essa tradição, cabendo, neste caso, ao conhecido pianista e maestro Lars Vogt, tocar e dirigir Beethoven e Prokofiev, com a orquestra Real Filharmonía de Galicia, tal como o tinha feito, na semana anterior, o oboísta e maestro Lucas Macías Navarro, com o Ensemble de Cordas da Orquestra Sinfónica de Castilla y León, então com um programa que incluiu obras de Grieg, Bach e Schönberg.

Beethoven e os seus concertos para piano nº 2 e nº 3 transportaram o público a um tempo onde os salões e palácios aristocráticos vienenses eram testemunhas do virtuosismo dum jovem compositor alemão em princípio de carreira. A primeira destas duas peças abriu o programa de forma auspiciosa, a abertura orquestral triunfante, as passagens cromáticas e o diálogo constante do piano com a orquestra, a evidenciarem a riqueza técnica da escrita de Beethoven e o seu refinamento melódico. Seguiu-se uma homenagem a um dos períodos mais interessantes da História da Música, com Prokofiev e a sua Sinfonia nº 1, o espectro do Classicismo superiormente combinado com os sons da modernidade do século XX. Este foi um momento particularmente colorido, os planos sonoros muito cuidados e uma surpreendente homogeneidade de ideias musicais a cativarem o público e a valerem à Orquestra e ao seu condutor um enorme aplauso antes de se seguir para intervalo.

Para a segunda parte doprograma estava guardado o momento mais esperado, com a interpretação do Concerto para piano nº 3, de Beethoven. E a verdade é que ninguém saiu defraudado. À monumental escala e intensidade dramática do primeiro andamento, juntou-se o lirismo e a delicadeza do andamento intermédio, para tudo terminar em triunfo com uma das intervenções mais virtuosísticas e brilhantes do piano, plenamente coadjuvado pela orquestra. Foram 35 minutos de fruição e deleite, amplamente saudados pelo público, aplausos que Lars Vogt fez questão de retribuir num inesperado encore, interpretando o celestial Noturno Op. 9 nº 2, de Frédéric Chopin. Um final inesquecível que fez desta uma noite mais memorável ainda.


Programa

Ludwig van Beethoven | Concerto para piano nº 2, em Si bemol Maior, Op. 19
Sergei Prokofiev | Sinfonia nº 1, em Ré Maior, “Clássica”, Op. 25
Ludwig van Beethoven | Concerto para piano nº 3, em Dó menor, Op. 37

[Foto: André Gomes / facebook.com/fimespinho/photos]


Sem comentários:

Publicar um comentário