Páginas

sexta-feira, 6 de julho de 2018

CONCERTO: "Noite Transfigurada"



CONCERTO: “Noite Transfigurada”
Ensemble de Cordas da Orquestra Sinfónica de Castilla y León
Lucas Macías Navarro | oboé e direcção musical
44º Festival Internacional de Música de Espinho | FIME 2018
Auditório de Espinho – Academia
30 Jun 2018 | sab | 22:00


Apresentando-se ao público de Espinho com um naipe de 20 instrumentistas em palco, o Ensemble de Cordas da Orquestra Sinfónica de Castilla y León, superiormente conduzido por Lucas Macías Navarro, ofereceu um serão de enorme qualidade e beleza, cujo alinhamento repousou em três obras primas da música clássica dos séculos XVIII e XIX. Embora perceptíveis de forma clara, as cambiantes de estilo mais significativas entre o barroco tardio, o romantismo e a transição para o modernismo do século XX inerentes a cada uma das obras foram harmonizadas graças à sábia escolha dum programa que soube encontrar pontos de contacto entre elas, proporcionando momentos de fruição e deleite verdadeiramente únicos.

Composta por Grieg em 1884, homenageando os 200 anos do dramaturgo Ludvig Holberg, contemporâneo de Bach, a Suite Holberg abriu o programa, os seus cinco andamentos a recuarem ao século precedente e a beberem a inspiração, no estilo e na forma, no período do homenageado, quando pontificavam as danças e as orquestras de cordas. Seguiu-se o Concerto para oboé d’amore de Bach, o qual sintetiza magistralmente diversos estilos do final do Barroco e permitiu evidenciar as qualidades de Lucas Macías Navarro, um dos mais destacados oboístas da actualidade, desempenho que acumula com uma bem-sucedida carreira de maestro.

Após um breve intervalo, assistiu-se à interpretação de “A Noite Transfigurada”, de Arnold Schoenberg, uma das obras centrais do final do Romantismo cuja linguagem musical antecipa os modernismos do século XX. Inspirada num poema simbolista de Richard Dehmel, “A Noite Transfigurada” foi escrita em três intensas semanas de Setembro de 1899, “pretendendo simplesmente representar musicalmente a natureza e os sentimentos humanos”, de acordo com o seu autor. Mas a combinação entre uma forte influência brahmsiana e o poder dramático e harmónico do wagnerismo, foi vista como inconciliável pelos críticos e músicos tradicionais, configurando um enorme escândalo à época e acabando por marcar toda a carreira do compositor.

Profundamente descritiva, rica de ambientes e efeitos conseguidos através de uma exploração requintada dos instrumentos, do fraseado e da harmonia, “Noite Transfigurada” viu-se valorizada nesta interpretação do Ensemble de Cordas da Orquestra Sinfónica de Castilla y León graças ao rigor instrumental e harmonia do conjunto, adquirindo uma intensidade levada, muitas vezes, aos limites da expressão dramática. Noite transfigurada, noite encantada, noite de todas as delícias, de todos os poemas em forma de música, foi assim a noite do passado sábado em mais um momento único do 44º Festival Internacional de Música de Espinho.

Programa
Edvard Grieg | Suite Holberg, op. 40
Johann Sebastian Bach | Concerto para oboé d’amore, em Lá Maior, BWV 1055
Arnold Schönberg | Noite transfigurada, op. 4

[Foto: FIME 2018 / facebook.com/fimespinho/photos]

Sem comentários:

Publicar um comentário