Páginas

domingo, 12 de maio de 2019

TEATRO: "OTUS"



TEATRO: “OTUS”
Concepção, direcção e interpretação | Hugo Oliveira, Sage Bachtler Cushman
Dramaturgia | Hugo Oliveira, Sage Bachtler Cushman, Luciano Amarelo
Suporte artístico e movimento | Luciano Amarelo, Wendy Houstoun
Cenografia | Hugo Oliveira, Sage Bachtler Cushman, Bruno Capucho
Figurinos | Carolina Sousa, Thomas Benjamin
Produção | Carole Blade, Rodrigo Matos
55 minutos | Maiores de 6
Circo ao Palco
Centro de Artes de Ovar
10 Mai 2019 | sex | 22:00


Um fluxo constante de serrim derrama-se do tecto sobre uma parte do palco onde um conjunto de blocos de madeira se encontra criteriosamente empilhado. Há mais pilhas destes blocos de madeira noutras partes do palco e, no centro, os blocos alinham-se em sequência, como peças dum gigantesco dominó em forma de laço. É sobre eles que uma mulher caminha muito lentamente, muito cautelosamente, avançando sempre. Numa mesa instavelmente equilibrada, a um dos cantos do palco, um homem parece incapaz de domar os seus conflitos interiores, a cadeira onde se senta como que uma extensão de si próprio. Há ainda uma corda fixa que pende do tecto e um trapézio que sobe e desce. É este o universo de “OTUS”, o trabalho dos artistas Hugo Oliveira e Sage Bachtler Cushman que encerrou a programação da segunda edição do “Circo ao Palco” e que foi possível ver, na noite da passada sexta-feira, no Centro de Artes de Ovar.

Misturando arte circense e dança contemporânea, “OTUS” pretende evidenciar a instabilidade de uma relação a dois, com os seus altos e baixos, a precariedade dum espaço comum a condicionar e a limitar comportamentos e atitudes. Se o homem parece mais cioso da sua privacidade – com frequência o vemos carregar a mulher até uma pilha de blocos de madeira, “pondo-a no seu lugar” -, manipulando os blocos de madeira numa busca constante de reconfiguração dum espaço que pretende seu, já a protagonista se mostra mais à vontade neste processo de adaptação, encontrando nas alturas o seu espaço de liberdade. Local de abstracção, o palco é a casa que ambos ocupam, a resistência inicial em romper com uma existência até então trilhada a solo a dar lugar, de forma paulatina, à aproximação e à colaboração entre ambos.

Com uma concepção plástica brilhante e um trabalho cenográfico de enorme impacto visual, “OTUS” retira do virtuosismo de Oliveira & Bachtler as suas mais valias. A expressão corporal de ambos e os movimentos coreográficos que reforçam a ideia de aproximação ou afastamento, são complementados por um domínio inexcedível de várias artes circenses, com destaque para o malabarismo, a acrobacia, o contorcionismo e a manipulação de objectos. Também a banda sonora que acompanha a acção se revela preciosa, “House of The Rising Sun”, na voz de Nina Simone, a marcar o momento pela sensualidade, os silêncios forçados a vincarem a tensão entre o casal. O quadro final, com a mulher a distanciar-se do palco e a dar-se conta do resultado duma relação conflituosa, tem tanto de significativo como de belo. Na linha dos anteriores espectáculos, este foi mais um fantástico momento de teatro (de circo?) que se espera ver repetido numa terceira edição do "Circo ao Palco". E nas que se lhe seguirem, esperando que perdurem por muito tempo!

[Foto: oliveira-bachtler.com]

Sem comentários:

Publicar um comentário