Páginas

quarta-feira, 29 de maio de 2019

LUGARES: Museo Delle Sinopie


[Clicar na imagem para ver mais fotos]

LUGARES: Museo Delle Sinopie
Piazza dei Miracoli, Pisa
Horário | Todos os dias, das 10:00 às 12:45 e das 14:00 às 17:00 (de novembro a fevereiro), das 10:00 às 18:00 (em março e outubro) e das 10:00 às 19:00 (de abril a setembro)


Condenadas a permanecerem ocultas sob a obra acabada, as preciosas “sinopias” são dos poucos trabalhos gráficos que restam dos antigos mestres do medievo, uma vez que esboços ou desenhos em papel ou em pergaminho que tenham chegado até aos nossos dias são extremamente raros. Primeiro passo na execução de um fresco, a sinopia é um desenho traçado na primeira camada de gesso, o termo advindo de “sinoper” ou “sinopias”, nome dado ao pigmento vermelho misturado com água e aplicado com a ajuda de um pincel. Foi esta a técnica utilizada pelos primeiros pintores a fresco para contarem as histórias do Velho e do Novo Testamento nas paredes do Camposanto, em Pisa, aí traçando as cenas por si idealizadas, dando o devido contorno às figuras e conferindo-lhes volume através da técnica pictórica do “claro-escuro”.

A colecção do Museo Delle Sinopie é absolutamente única e o facto de ser possível apreciá-la tal como a vemos hoje deve-se a um acontecimento terrível. Em 1944, um violento incêndio assolou o Camposanto na sequência de um bombardeamento aéreo durante a II Guerra Mundial. Tornou-se então imperiosa uma intervenção de urgência no sentido de resgatar as vastas porções de frescos que, milagrosamente, não tinham sido afectadas e proceder ao seu restauro. Foi precisamente ao remover a camada superficial dos frescos que as sinópias vieram à luz do dia. Feita a sua remoção, as mesmas viriam a constituir o espólio deste novo Museu inaugurado em 1979.

Aqui podemos admirar, com toda a clareza, o estilo de grandes artistas como Bonamico Buffalmacco, o criador do famoso “Triunfo Sobre a Morte”, mas também Andrea Bonaiuti, Antonio Veneziano, Spinello Aretino, Taddeo Gaddi, Piero di Puccio e Benzo Gozzoli, os três últimos responsáveis pela série de Histórias do Velho Testamento, cujo ciclo constitui o mais extenso dos trabalhos gráficos do século XIV conhecidos até hoje. Ao visitante recomenda-se, como complemento da visita ao Museo Delle Sinopie, uma incursão ao Camposanto, no lado norte da muito bela Piazza dei Miracoli, para apreciar os frescos que se mantêm conservados e, assim, perceber o real valor do conjunto pictórico que se abriga nestes dois espaços. Absolutamente a não perder!

Sem comentários:

Publicar um comentário